Aumentamos nosso portfólio para a indústria

Monlevade

Nossa unidade de João Monlevade, em Minas Gerais, desenvolveu, só neste ano, oito novos aços, que complementarão nossa linha de fio-máquina, barras laminadas, barras trefiladas e a Multibar®.

Linha de produção de fio-máquina.

Linha de produção de fio-máquina.

Os novos produtos atendem a norma alemã DIN (16MnCr5, 3883 e C43) e também a norma americana SAE (1045H, 4140H, 51B60 e 6150).

Cariacica

Além da produção do fio-máquina a unidade de Monlevade vai fornecer tarugo para a produção de Barras de Qualidade Especial (SBQs) na nossa unidade de Cariacica, no Espírito Santo.

“Criamos essa rota nova de fabricação, que nos permite ofertar ao mercado uma gama maior de aços e bitolas. Se antes era possível fabricar com bitola de até 42 mm, agora conseguimos produzir com bitola de até 101,60 mm, o que permite ampliar nossa atuação em produtos para a indústria.”, explica o especialista da Gerência de Desenvolvimento de Produto e Mercado, Lucio Vatutin.

A Multibar está entre os novos produtos feitos a partir desta nova sinergia entre nossas unidades.

A Multibar está entre os novos produtos feitos a partir desta nova sinergia entre nossas unidades.

E completa: “Também destaco a adequação na composição química para a produção de aços com temperabilidade garantida”.

Sabará

Já em nossa unidade de Sabará, também em Minas Gerais, foi criada uma nova rota de endireitamento de barras laminadas, com retilinearidade mais restrita. Assim, conseguimos ampliar nosso portfólio para atender a diversos segmentos da indústria, como o automotivo, com barras de direção e sistemas de transmissão.

A nova rota de endireitamento, criada em Sabará, foi fundamental para ampliarmos nosso portfólio de produtos.

A nova rota de endireitamento, criada em Sabará, foi fundamental para ampliarmos nosso portfólio de produtos.

“O engajamento das equipes técnicas das unidades industriais tem sido crucial para o êxito deste projeto. Destacamos Monlevade e Cariacica, que imprimiram agilidade no desenvolvimento dessa rota, que consideramos complexa. Antes, esses aços eram importados da Argentina e da Europa, e, com a desvalorização do Real, voltamos a ser competitivos”, reforça Lucio Vatutin.

A alta de 48% do dólar, em 2015, encareceu as importações e afetou diretamente parte da indústria, que depende de matéria-prima produzida no exterior. “A incerteza em torno do câmbio levou empresas a iniciar um movimento de nacionalização de componentes e insumos no mercado de barras especiais”, comenta Joaquim Burrel, Gerente Geral de Desenvolvimento de Produtos e Serviços.

Referências

Comunicação ArcelorMittal

 

 

1 comentário de “Aumentamos nosso portfólio para a indústria

  1. cassiano winsche
    23 de agosto de 2016 às 21:36

    Parabéns sucesso

Deixe um comentário