O aperfeiçoamento das barreiras de proteção.

O mercado europeu de infraestrutura para segurança rodoviária está mudando rapidamente devido à introdução de novas normas. Em vez de prescrever o material a ser utilizado, os novos regulamentos são baseados no desempenho. Isso permite a utilização de materiais tecnicamente superiores, como nossos aços avançados de alta resistência (AHSS).

Todas as novas barreiras devem ser testadas para garantir que cumpram as normas de segurança definidas no regulamento.  Assim, trabalhamos em parceria com nossos clientes, em soluções de co-engenharia.

Barreiras de segurança certificadas

Duas barreiras de segurança desenvolvidas em parceria com a Mieres Tubos (empresa do Grupo Condesa) receberam selo da CE, que indica os produtos em conformidade com as normas europeias de segurança rodoviária. Ambas utilizam nossos aços de alta resistência e baixa liga (HSLA), que são revestidos com Magnelis®, produto exclusivo feito com zinco, magnésio e alumínio.

Em relação aos aços estruturais convencionais, os HSLA apresentam as seguintes vantagens:

  • Melhor controle das propriedades mecânicas;
  • Propriedades mecânicas superiores, que permitem a redução de peso de até 25% por metro;
  • Maior produtividade durante a instalação e redução nos custos de manutenção.

O certificado da CE confirma que a alta resistência e baixa liga dos aços HSLA atendem aos requisitos da norma e também demonstra os benefícios da abordagem da co-engenharia para o desenvolvimento de produtos.

Guard rails desenvolvidos em processo de co-engenharia com Mieres, utilizam aços de alta resistência e baixa liga (HSLA).

Guard rails desenvolvidos em processo de co-engenharia com Mieres, utilizam aços de alta resistência e baixa liga (HSLA).

Guard rails de aço têm a preferência dos usuários

Levantamento feito entre automobilistas alemães, publicado em dezembro de 2011 pela empresa alemã Cuecon, mostrou que 64,5% dos entrevistados preferem ver barreiras de segurança de aço nas estradas. 72% dos entrevistados acham que as barreiras de concreto são mais perigosas do que as de aço. As razões para as preferências são claras.

Ao contrário das barreiras de concreto, os guard rails de aço deformam em um acidente. Quando utilizados aços de alta resistência, esta deformação pode ser controlada para:

  • Reduzir a força do impacto inicial;
  • Desacelerar o movimento do veículo;
  • Reduzir a chance de devolver o veículo para a estrada de forma descontrolada, afetando outros veículos.

Barreiras de segurança rodoviária são normalmente concebidas para carros e caminhões. Para outros usuários da estrada, como os motociclistas, as barreiras podem oferecer menos proteção. Barreiras de concreto são particularmente problemáticas, pois não se deformam para absorver a energia do impacto de um motociclista. Trabalhamos ativamente com fabricantes de barreiras para projetar soluções que salvam as vidas de todo tipo de usuário de rodovias.

Danos às barreiras de aço também são imediatamente visíveis. Partes afetadas da barreira podem ser facilmente substituídas, garantindo sua integridade. No caso de materiais como concreto, pequenas fraturas capilares não serão notadas rapidamente, o que pode comprometer o desempenho da barreira de segurança.

Durante sua vida útil, as barreiras de segurança feitas de aço continuam a salvar vidas e reduzir ferimentos em acidentes rodoviários.

Barreiras para motociclistas

Nossa unidade Ostrava, na República Checa, desenvolveu barreiras especiais de segurança que ajudam a proteger melhor os motociclistas em caso de acidente.

A nova barreira foi instalada, inicialmente, em uma área de teste na cidade de Šebrov, distrito de Blansko. Ela conta com uma faixa de proteção inferior e foi a primeira que apresenta faixa inferior de proteção a ser certificada.

As barreiras desenvolvidas em Ostrava contam com faixa inferior adicional, que protegem motociclistas em caso de acidentes.

As barreiras desenvolvidas em Ostrava contam com faixa inferior adicional, que protegem motociclistas em caso de acidentes.

Essas barreiras, denominadas JSAM-M/H1, foram instaladas gratuitamente pela nossa unidade de Ostrava – como parte do seu compromisso de proteger e melhorar a vida das pessoas nas comunidades próximas ao seu local de atuação.

“As novas barreiras, com uma faixa inferior de proteção, fazem com que motociclistas acidentados não passem por debaixo do sistema de retenção, que é a causa de muitas lesões graves. Ao mesmo tempo, elas mitigam o impacto sobre os motociclistas durante um acidente”, disse Richard Toman, responsável pela produção de barreiras de segurança em Ostrava.

As barreiras foram desenvolvidas com o chamado “sistema de retenção inteligente em estrada” que utiliza sensores para registrar acidentes – e o projeto recebeu financiamento da União Europeia. Nossa unidade de Ostrava envolveu-se no desenvolvimento deste sistema entre 2008 e 2012. O projeto teve cooperação da Universidade de Zaragoza, Espanha. “Usamos os resultados das simulações feitas em Zaragoza e começamos a produzir um protótipo da barreira, que passou por testes de laboratório e de acidentes na Espanha”, acrescentou Toman.

O desenvolvimento do sistema de retenção levou dois meses e seguiu as normas de certificação do Ministério dos Transportes da República Checa.

“Espero que essa barreira de segurança seja apenas o começo para melhorar a proteção dos motociclistas nas estradas”, disse Iva Šebková, porta-voz da Polícia do departamento de Blansko-Vyškov.

Vantagens do revestimento Magnelis®

Para reduzir custos de manutenção e estender a vida útil dos produtos, as barreiras desenvolvidas pela Mieres Tubos foram revestidas com Magnelis® (ZM310). Além de oferecer proteção de longo prazo contra corrosão, Magnelis® é capaz de se autorregenerar nos cortes das bordas e perfurações. O Magnelis® tem garantia de 20 anos.

Barreiras revestidas com Magnelis® oferecem proteção de longo prazo contra corrosão.

Barreiras revestidas com Magnelis® oferecem proteção de longo prazo contra corrosão.

Materiais e co-engenharia igual a barreiras mais seguras

Nossa parceria com a Mieres Tubos para desenvolver barreiras de segurança demonstrou como a simples mudança na escolha do material pode fazer uma grande diferença para a segurança, o desempenho e o custo.

Após consultar pesquisadores e engenheiros de P&D global da ArcelorMittal, a equipe decidiu substituir o aço estrutural laminado a quente (grau S235JR) por um novo produto de ultra alta resistência e baixa liga (UHSLA).

A mudança para a classe UHSLA resultou em barreiras 25% mais leves. O desempenho também foi melhorado drasticamente e os custos de produção foram reduzidos.

A alta resistência do novo aço também tornou possível dobrar a distância entre os postes que mantém a barreira no lugar. Em vez de 50 postes em 100 metros de barreira, agora são necessários apenas 25 postes. Transporte e instalação aliados à economia de peso, com uma mudança simples de design, permitiu a redução de 25% nos custos.

Referências

http://industry.arcelormittal.com/news/newsarchive/1826/august2014/saferroads

http://industry.arcelormittal.com/marketsegments/674/677/steelsaveslives

http://industry.arcelormittal.com/marketsegments/674/677/coengineeringleadstosaferbarriers

http://corporate.arcelormittal.com/news-and-media/news/2013/nov/27-11-2013b

Deixe um comentário