Barreiras de segurança no Chile têm aço produzido no Brasil.

A empresa chilena Tecnovial e nossa divisão global de P&D desenvolveram uma barreira de segurança rodoviária, que utiliza aço de alta resistência e nosso exclusivo revestimento Magnelis®. Nossa unidade Tubarão, no Espírito Santo, forneceu o aço para essas barreiras serem instaladas em rodovias chilenas.

O Ministério de Obras Públicas do Chile implementou várias iniciativas para melhorar a segurança rodoviária naquele país. Uma dessas iniciativas foi a adoção da norma europeia (EN 1317) para barreiras de segurança na rede rodoviária.

Tecnovial e ArcelorMittal: parceiros de longa data

A Tecnovial, nossa cliente há bastante tempo, é uma das principais fabricantes de barreiras de segurança rodoviária no Chile. Para atender aos requisitos da EN 1317, a Tecnovial precisava desenvolver um sistema de barreira de alta contenção (nível H2), que pode conter e redirecionar veículos com peso de até 13 toneladas.

Detalhe da barreira instalada no Chile, que atende à norma europeia EM 1317.

Detalhe da barreira instalada no Chile, que atende à norma europeia EM 1317.

A empresa nos convidou para ajudá-la a desenvolver a solução de barreira nível H2. “A ArcelorMittal já tinha experiência com a norma EN 1317 e com a Tecnovial”, observa Horacio Pinochet Vejar, gerente geral da Tecnovial. “Também estamos cientes da oferta de aço de alta resistência e dos benefícios do Magnelis®. Isso fez da ArcelorMittal a parceira ideal para o projeto”.

O desenvolvimento técnico da barreira foi realizado pelo departamento de AC&CS (Advanced Coatings & Construction Solutions – revestimentos avançados e soluções para construção) do Grupo CRM.

Durante o processo de desenvolvimento, para projetar uma solução econômica, que atendesse aos requisitos do mercado chileno, o AC&CS contou com a experiência da Tecnovial na produção de barreiras de segurança. Os trabalhos para produzir a nova barreira começaram no centro de investigação da AC&CS, em Liége (Bélgica), no final de 2015.

As considerações do processo influenciam a seleção do grau do aço

“Nós selecionamos o aço de alta resistência S420MC para a nova barreira”, explica Claudia Cofano, líder de projeto da AC&CS. “A decisão de usar aço de alta resistência nos permitiu projetar um produto mais leve e mais competitivo, que também é visualmente atraente e muito fácil de instalar”.

O S420MC cumpre a norma EN 10149-2 e oferece a melhor combinação de resistência e formatação para este tipo de aplicação. Ao escolher um aço adequado para estampagem a frio, o AC&CS assegurou que a nova barreira pudesse ser produzida com os equipamentos e processos existentes na Tecnovial.

A estampagem das barreiras foi feita na Tecnovial, com o aço S420MC.

A estampagem das barreiras foi feita na Tecnovial, com o aço S420MC.

Um grande passo para a segurança rodoviária no Chile

Recomendamos que o aço utilizado na nova barreira fosse revestido com Magnelis®, solução única de proteção, que pode prolongar significativamente a vida das barreiras de segurança. A Tecnovial já estava familiarizada com o Magnelis®, revestimento que lançamos em 2014.

O Magnelis® oferece muitos benefícios, incluindo:

  • Proteção que se autorregenera nas áreas de arestas cortadas;
  • Garantia de até 20 anos em sistemas de retenção rodoviária;
  • Redução significativa do escoamento de zinco para o solo, em comparação com as soluções tradicionais de galvanização.

Este último requisito atende às novas regulamentações ambientais chilenas para proteção do solo. Como o Chile é um grande exportador de alimentos e vinho, o governo introduziu regulamentações rigorosas para controlar a poluição do solo. Magnelis® é a melhor solução para proteção contra a corrosão, pois garante durabilidade e preserva o meio ambiente.

Uma vez concluído o projeto da barreira, o AC&CS usou ferramentas avançadas de cálculo, para testar numericamente vários cenários de impacto. Seus engenheiros também testaram componentes individuais para garantir que o desempenho mecânico fosse totalmente compreendido. Usando essa abordagem de modelagem detalhada, o AC&CS pôde otimizar o design da barreira e prever com precisão o desempenho no teste de colisão.

Novas barreiras cumprem normas europeias

Em fevereiro de 2016, a nova barreira de segurança viária passou por testes reais no centro de teste de colisão CSI, em Bollate (Itália). A barreira passou pelos testes TB11 e TB51, especificados na norma EN 1317.

O teste de contenção TB11 é feito com um carro pequeno, de 900 Kg.

O teste de contenção TB11 é feito com um carro pequeno, de 900 Kg.

A barreira H2 é composta por três componentes principais:

  • Postes C a cada dois metros (espessura 3,5 mm);
  • Feixe Thrie (espessura 2,5 mm);
  • Espaçadores D (espessura 6,0 mm).

O teste TB11 é feito com um carro pequeno (900 Kg), que é conduzido para dentro da barreira em um ângulo de 20° a uma velocidade de 100 Km/h.

O teste TB51, feito na Itália, suporta impacto de um veículo de até 13 toneladas.

O teste TB51, feito na Itália, suporta impacto de um veículo de até 13 toneladas.

Já o TB51 requer a contenção de um veículo de 13 toneladas, conduzido para dentro da barreira no mesmo ângulo e a uma velocidade de 70 Km/h. A nova barreira passou em ambos os testes e já foi instalada pela Tecnovial em alguns trechos de rodovias cheilenas.

Referências:

http://europe.arcelormittal.com/newsandmedia/europenews/2401/Tecnovialsafetybarriers

http://tubarao.arcelormittal.com/galeria-midia/noticias/noticiasView.asp?noticiaId=73443444423333233342334424333444333437D657351535534D6278D3384D2185D62534255BC7

Deixe um comentário