Um ambiente inovador e sustentável

O prédio da antiga Rede Ferroviária Federal, localizado na Rua Sapucaí, no bairro Floresta, em Belo Horizonte, foi escolhido para sediar a edição de 2017 da Casa Cor Minas, que vai de 12 de agosto até 17 de setembro.

E, mais uma vez, nós estamos presentes no evento. Dessa vez apresentando um projeto desenvolvido para os nossos empregados, um local onde eles poderão descansar e relaxar nos intervalos da jornada de trabalho. O ambiente, de 80 m², utiliza o conceito de economia circular, com a aplicação do aço de maneira moderna, segura e sustentável.

O ambiente em exibição na Casa Cor Minas será instalado em uma de nossas unidades, depois de terminado o evento.

Embora o projeto seja para uma empresa, seu aspecto é o de uma casa.

Embora o projeto seja para uma empresa, seu aspecto é o de uma casa.

“O conceito permeia desde a escolha do material, que permite o reuso do objeto arquitetônico, passa pela forma como os ambientes foram pensados, pela escolha dos móveis e pela curadoria das obras de arte presentes. Está tudo entrelaçado. Embora a proposta esteja inserida dentro de uma empresa, o aspecto casa do espaço humaniza, além de propor um ambiente de trabalho saudável e com qualidade de vida para os empregados, de acordo com as diretrizes do desenvolvimento sustentável da ArcelorMittal,” explica Pedro Lázaro, arquiteto e idealizador do ambiente.

Uma das premissas da economia circular é manter produtos, componentes e materiais em seu mais alto nível de utilidade e valor o tempo todo. De acordo com Pedro Lázaro, a estrutura do espaço está alinhada com a efemeridade do evento. As chapas metálicas, os pilares, as vigas e a base do piso são modulares. “Alguns elementos adotados no ambiente vão ser reciclados. Outros vão ser compartilhados com os próprios parceiros. Por exemplo, o piso assentado com massa pura de gesso, poderá ser retirado inteiramente e sem quebra”, aponta Lázaro.

O ambiente

A proposta é fazer de uma sala de descompressão da empresa um ambiente de convivência para os nossos empregados, que visa o bem-estar, o bate-papo, o momento de relaxamento e de lazer. O ambiente poderá receber até 60 pessoas por vez e é composto por dois espaços. O lado direito oferece uma opção de lazer com TV – que pode ser utilizada como monitor de internet e de games – biblioteca com espaço de leitura e uma copa, destinada a um momento de convivência. A área externa tem chaises para descanso. Tudo isso sem tumulto e sem comprometer o objetivo de ventilação e iluminação das áreas internas.

Vista do espaço a partir da sala com monitor de TV e biblioteca.

Vista do espaço a partir da sala com monitor de TV e biblioteca.

Do outro lado, o espaço atende a quem concilia lazer e atividades físicas. A mesa de pingue-pongue em madeira artesanal humaniza o ambiente, enquanto uma bicicleta ergométrica e um aparelho multifuncional formam uma pequena academia.

A sala de atividades físicas tem mesa de pingue-pongue e aparelhos de academia.

A sala de atividades físicas tem mesa de pingue-pongue e aparelhos de academia.

“É importante destacar que todos os móveis possuem uma razão para terem sido escolhidos: não só pela forma, mas também pelo conceito e história de cada um deles. Não por acaso também, as obras de arte são carregadas de significados e têm sempre, de alguma forma, relação com o conceito inicial de economia circular. Trabalhos que falam da ‘selva de pedra’ ao reproduzir a arquitetura de uma cena urbana, ou que fazem uma correlação de antagonismo das posturas das pessoas em geral, entre conhecimento, difusão e realidade, e mesmo de relação de conforto, nas cenas de pássaros fotografados em seu habitat, oferecem essa leitura aos mais sensíveis”, destaca o arquiteto.

Alguns produtos nossos foram usados de forma inovadora no ambiente. É o caso da estante feita de vergalhões de diferentes tamanhos. Além de abrigar livros, ela serve para dividir o espaço, criando uma área reservada de leitura.

Estante feita com vergalhões de aço entrelaçados de diferente tamanhos.

Estante feita com vergalhões de aço entrelaçados de diferente tamanhos.

Chapas de aço naturais coladas fazem a vedação das paredes e dão um caráter industrial. Essa rigidez contrasta com o piso – um porcelanato que dá ideia de areia.

Chapas de aço naturais foram coladas às paredes de todo o ambiente.

Chapas de aço naturais foram coladas às paredes de todo o ambiente.

O design foi pensado para gerar um mínimo de resíduo. Para refletir as nossas diretrizes do desenvolvimento sustentável, o projeto buscou contextualizá-las e traduzir esses conteúdos. Trata-se de uma estrutura modular com conceito de reuso, já que a Casa Cor é temporária e, ao final da mostra, o espaço será transferido para uma das nossas unidades de negócio.

 

Deixe um comentário